Como Transitar Do Teu Trabalho Diário Para Uma Carreira Musical De Sucesso

de Tom Hess 
Queres ser um músico profissional, mas não sabes como, nem onde começar? Queres, realmente, uma carreira musical de sucesso, mas o teu medo de falhar está-te impedindo? Tens dúvidas sobre o que fazer se o teu plano não funcionar?

A maioria dos aspirantes a musico recebe muitos conselhos de amigos e família sobre a melhor abordagem a tomar para a sua carreira musical. Entre as muitas coisas sugeridas está a ideia de ter um plano alternativo. Muitas pessoas dão conselhos sobre "a necessidade de ter algo aonde regressar, no caso da carreira musical não funcionar", ou de ter "um plano B". Normalmente, os músicos são encorajados a irem para a escola e a obterem um diploma em algo onde possam facilmente encontrar um emprego, e a fazerem música no seu "tempo livre".

Quando chegares ao ponto em que a tua carreira musical começa a desenvolver-se, serás aconselhado a trabalhar menos no teu trabalho habitual e a te concentrares mais na música, até que possas sair do teu trabalho e consigas fazer a tua carreira na música funcionar. Este conselho parece bom em teoria, mas na realidade não funciona como previsto em quase todos os casos. Porquê? Normalmente, o trabalho que a maioria dos músicos arranja para obterem o seu sustento até que a sua carreira musical arranque, não tem nada a ver com música, em geral, ou especificamente, com a sua carreira musical. Como resultado, a maioria acaba numa situação muito frustrante que torna virtualmente impossível conseguir qualquer tipo de êxito duradouro como músico profissional.

4 Razões pelas quais este “plano secundário” está destinado a falhar

Antes de eu entrar em detalhes sobre algumas razões por que este tipo de "plano" normalmente não funciona como previsto, quero que te testes e à eficácia da tua estratégia para te tornares num músico profissional. Vai ajudar-te se fizeres este teste antes de leres o resto do artigo, para que não sejas atraiçoado nas tuas respostas.

Achas que o teu "plano secundário" vai funcionar e que vai levar-te a uma gratificante e estável carreira musical de longo prazo? Preenche este inquérito para descobrir, antes de leres mais this survey .

Razão #1: Não ter uma eficaz estratégia de saída

A ideia de ires deixando o teu trabalho habitual gradualmente, enquanto vais construindo a tua carreira musical é boa, mas, para funcionar, precisa ser feito da maneira certa. A maioria dos músicos não tem nada planeado, ou preparado, que lhes permita diminuir gradualmente o tempo gasto no seu dia de trabalho para se focarem mais na música. Quando escolhem um "plano secundário", os músicos, normalmente, procuram um emprego que é o mais "estável e seguro" e que paga mais dinheiro. No entanto, a maioria das pessoas falha ao planejar a "estratégia de saída" e pensar mais além, até ao momento em que a situação da sua carreira musical irá permitir-lhes concentrar-se menos tempo no emprego diário. Quando, finalmente, chegam a este ponto, percebem que estão encurralados no seu trabalho habitual e que são incapazes de o deixar "gradualmente". Eles são confrontados com a escolha de abandonar o trabalho, inteiramente, ou ficarem nele até à reforma (mais sobre isto daqui a pouco).

O melhor plano de saída é ter um trabalho que permitirá diminuíres, gradualmente, o número de horas que gastas nele: de 40 horas semanais para 30, de 30 horas para 20, de 20 para 10, até que finalmente possas, de uma vez, sair do emprego! Então, deves ter o cuidado de escolher uma ocupação que permita muita flexibilidade no seu horário. Isto significa que deves ter o cuidado de escolher uma ocupação que permita muita flexibilidade no horário de trabalho. Desta forma, quando o momento certo se proporcionar, podes fazer uma "gradual" transição para uma carreira musical a tempo inteiro. Infelizmente, a maioria das profissões tradicionais (tais como contador, programador de computadores, gestor de escritório, etc.) não permitem essa flexibilidade. Lembra-te, que o teu patrão no local de trabalho não vai, de repente, permitir-te "trabalhar 3-4 dias por semana, em vez de 5", só porque desejas trabalhar no teu novo CD mais uns dias por semana. É possível começar por trabalhar num emprego não relacionado com a música, mas NÃO selecciones "qualquer" oferta de emprego sem considerar a estratégia de saída em primeiro lugar.

O emprego ideal para um aspirante a músico profissional é ensinar guitarra. Não só podes ganhar um bom dinheiro ao fazê-lo, mas também terás total controlo sobre o número de horas que queres trabalhar. Nem todos poderão optar por ensinar a tempo inteiro para o resto da sua vida (e isto está bem). Mas enquanto vais estar a trabalhar, de qualquer maneira, porque não fazer algo que já está relacionado com o que gostas, ajudar os alunos a atingir seus objectivos mais rapidamente e ganhar dinheiro no processo? Além disso, o ensino já é uma actividade “relacionada com música” e que, provavelmente, é muito mais divertida de se fazer do que estar sentado num escritório!

Outra possibilidade é a de trabalhar como um contratante independente do volume de vendas ou marketing, ou fazer consulta em trabalho de aluguer. Verifica sempre a flexibilidade do horário de trabalho antes de aceitares uma oferta de emprego. Lembra-te que na maioria das indústrias, 40-60 horas de trabalho por semana é a regra, com pouca ou nenhuma possibilidade de emprego a tempo parcial. Isto torna impossível fazer uma transição suave para uma carreira musical a tempo inteiro.

Razão #2: Há muito risco envolvido.

Deixar lentamente o teu trabalho parece ser uma abordagem muito "sã e segura", mas na realidade pode virar-se contra ti e preparar uma "armadilha" devido ao seu senso de segurança. Se ganhas $ 60.000 por ano no teu trabalho e consegues ganhar $ 25.000 com a tua música (através de trabalho nocturno e fins-de-semana), então, juntando tudo, tens um rendimento total de US $ 85.000 por ano. É aqui que a realidade te apanha. Se decidires dedicar-te a tempo inteiro à música, então, a uma determinada altura, vais precisar de deixar o teu trabalho habitual por completo. Até que possas recuperar e construir a tua carreira musical, levando-a a níveis mais altos, estarás ganhando menos $ 60.000 por ano do que antes! Este tipo de risco é desconfortável para a maioria das pessoas (especialmente aqueles que são casados, têm filhos e / ou despesas significativas), e isto mantém-nas presas aos seus empregos toda a sua vida.

Razão #3: Frequentemente não és capaz de tirar partido das oportunidades.

E se fizeres um esforço extraordinário de noites e fins-de- semana para gravar um CD  muito sonante com a tua banda, perderes muito tempo a promovê-lo na esperança de assinar um contracto com  uma empresa discográfica,  fores em digressão e, então, realmente, tiveres a oportunidade de fazer uma tournée de 10 semanas noutro país do mundo? É muito provável que NÃO vás receber muito dinheiro por pagamento, tratando-se da tua primeira tournée, mas como um todo, esse tipo de tournée é exactamente o género de avanço que tens procurado.
O que vais fazer? Vais perder esta enorme oportunidade de fazer avançar a tua carreira musical? Ou vais aceitar levar um enorme corte no salário por abandonares o teu trabalho em prol de uma tournée? Acho que podes concordar que nenhuma destas opções é totalmente apelativa. Não seria óptimo fazeres a tournée sem te preocupares com o modo como te alimentavas (e à tua família), enquanto estivesses fora?

Razão #4: Não há muito tempo de qualidade, nem energia para fazer o que for.

Esta pode parecer uma questão mais subtil, mas é realmente muito importante. Se as tuas horas do dia mais produtivas são gastas em actividades menos produtivas, então, atingir os teus objectivos levará muito MAIS tempo do que é preciso. Pensa nisto: se acordares às 6:00, chegares ao trabalho às 8:00 ou 9:00 e passares 8/10 horas lá,
e mais 1-2 horas para voltar para casa, no momento de começares a trabalhar na tua carreira musical, já estarás cansado! Isto, não tendo em conta o tempo ocupado por outras coisas da vida, às quais tens que atender. Será preciso um esforço verdadeiramente extraordinário para obter alguma coisa útil, realizada durante o tempo de noites e fins-de-semana, para criar múltiplos fluxos de rendimentos relacionados com música, que irão permitir-te sair de trabalhos não relacionados com ela, sem te colocar e à tua família em situação financeira difícil.

Agora que vês por que razão este tipo de plano não é tão bom como parece, podes perguntar o que deves fazer em seu lugar.

Qual é a solução?

Bem, não ter qualquer plano não é, definitivamente, a solução. Para construir uma bem sucedida carreira musical, precisas estar preparado e não podes simplesmente esperar que "as coisas funcionem".

O problema subjacente ao plano convencional que eu descrevi é que ele leva a que se pense em como não " perder". Este tipo de pensamento não tem ambição real e obriga-te a manter-te ligado ao que é mais conhecido e chamado "fiável e seguro". Como resultado, normalmente acabas por ficar com o que desejas: uma familiar, média, fiável e segura vida. No entanto, esta atitude raramente conduz a resultados significativos, avanços e conquistas na indústria da música.

Aquilo que os mais bem sucedidos músicos fazem é organizar o seu plano de backup, ou plano B, em torno dos objectivos da sua carreira musical (Plano A). Isto exige verdadeira ambição e coragem, e tem como base pensar em como "ganhar". Isto também requer que penses como podes integrar o plano B com a tua presente e futura vida como músico profissional.

Existem muitas possibilidades de planos “secundários” (que servem mais como "apoio") verdadeiramente eficazes. Em muitos casos, elas envolvem projectar sistemas de múltiplos fluxos de rendimentos provenientes de fontes de negócios da música que irão apoiá-las continuamente.

É importante pensar muito no tipo de " planos backup " e nas abordagens que são mais adequadas aos teus objectivos. Para encontrar o plano certo para ti, há duas coisas importantes que precisas fazer:

Em primeiro lugar, estudar a forma como o negócio da música funciona (isto é a chave!).

Entendê-lo irá ajudar-te muito na concepção da estratégia mais eficaz para alcançares as tuas metas, no mais rápido período de tempo. Construir uma carreira de sucesso e de longa duração requer muita dedicação e esforço. Quanto mais entenderes sobre o negócio da música, mais fácil será a concepção do tipo de plano que irá ajudar-te a alcançar os teus objectivos, em vez de restringir-te e ludibriar-te.

Segundo: ter cuidado com conselhos de pessoas que podem ter grandes intenções, mas falta de conhecimento e experiência sobre como funciona a indústria da música. Muito frequentemente, os nossos amigos e família, com as melhores intenções no coração, tentam dar-nos conselhos sobre o que fazer para "consegui-lo". No entanto, se prestares atenção, vais perceber que este conselho tem um tema comum, que é: "aqui está o que deves fazer para não perder". Muito raramente obténs aconselhamento sobre "como ganhar"! Esta mentalidade (como descrito acima) mantém-te longe de tomar medidas que irão impulsionar os teus sonhos.

Para piorar, embora os teus amigos e familiares possam ter as melhores intenções no seu coração, na maior parte do tempo, eles simplesmente não estão qualificados para dar conselhos sobre o negócio da música. Isto é o mesmo que perguntares ao teu irmão, que é canalizador (por exemplo), a forma de curar uma doença, ou perguntares ao teu tio, que é carpinteiro (por exemplo), a forma de resolver um problema jurídico. Não importa que essas pessoas tenham a melhor intenção no coração. Se eles não sabem o que estão a dizer (sobre um determinado assunto), não são susceptíveis de dar conselhos úteis. Se realmente desejas conselhos que funcionem, e se quiseres aprender as estratégias para alcançar todos os objectivos da tua carreira musical, tens de encontrar um mentor cuja eficácia de conselhos possas confiar. Isto significa aprender a partir de alguém que já tenha feito o que queres fazer e, de preferência, alguém que já tenha ensinado muitos outros a fazer o mesmo.

As mais eficazes, previsíveis e seguras estratégias de entrar "por fases" na tua carreira musical

Agora que sabes algo sobre os problemas dos métodos convencionais para planos secundários, vou mostrar-te as características de um bom plano (Plano B).

1. Flexibilidade

O teu plano deve ser flexível. Isto pode significar muitas coisas. Uma delas é ter a capacidade de diminuir "gradualmente" a quantidade de tempo que gastas trabalhando no Plano B e aumentar o tempo que investes no plano A! Isso pode significar, também, a capacidade de integrar as competências adquiridas (ou os resultados auferidos) do Plano B ao plano A.

2. Passividade

O teu plano deve ser, sobretudo, passivo: irá realmente ajudar se o teu Plano B for maioritariamente constituído por fluxos de rendimentos passivos, que tu criaste por investires no trabalho de uma só vez! É óbvio que isso vai liberar uma quantidade de tempo para dedicares ao teu plano A! (a tua carreira musical)

3. Diversidade

O plano deve ser diversificado: não te tornes dependente de apenas um fluxo de rendimento! Muitas pessoas argumentam que uma carreira musical não é muito segura, quando nada poderia estar mais longe da verdade. O que achas que é mais provável: uma empresa despedir um empregado, num piscar de olhos (cortando a sua única fonte de rendimento, o salário), ou um professor de música com 40 alunos (que tem essencialmente, pelo menos 40 "diversificadas" fontes de rendimento), de repente, perder todos os seus clientes numa só noite?

Ao fazeres as opções do teu Plano B diversificadas, também constróis a tua própria segurança financeira, sem depender de ninguém. Eu não sei quanto a ti, mas eu sinto-me muito mais seguro sabendo que eu estou no controlo do meu próprio futuro, ao invés de colocar a minha fé no ponto de vista de segurança de alguém.

4. Congruência e Relevância

Isto significa que o Plano B deve fazer com que o teu objectivo primário (a carreira musical) seja mais provável de ocorrer!
Isto também significa (preferencialmente) que o tempo que investes no desenvolvimento de competências e experiência no Plano B pode ser facilmente utilizado para reforçar o Plano A. Por exemplo, se és conhecido como um excelente professor de guitarra, podes facilmente integrar clínicas de ensino e workshops, com performances da tua música, vender os teus futuros cds, outras mercadorias, etc., etc...

Espero que possas ver agora como esta estratégia é muito diferente (e superior) da sabedoria convencional de se arranjar um emprego de dia e, então, fazeres o teu melhor em noites e fins-de-semana para lançar uma carreira musical, a partir do zero.

Ao desenhares o teu próprio caminho para uma bem sucedida carreira musical, compara os passos que estás a dar com os critérios acima referidos e modifica a tua estratégia, se necessário. Isto irá ajudar a salvar-te da frustração sentida pela maioria dos “aspirantes” a músico que percebem (demasiado tarde) que a sua estratégia os deixa sem maneira de manifestar os seus sonhos.

Se tiveres perdido o inquérito mencionado no início deste artigo, vê-o aqui.


Find a music career mentor to help you start a music career.

© 2002-2014 Tom Hess Music Corporation